NOTA DE APOIO À GREVE DE FURNAS, CEPEL E ELETROBRAS

Na última segunda-feira (17), trabalhadoras e trabalhadores de Furnas, do Centro de Pesquisas de Energia Elétrica – Cepel e da Eletrobras Holding entraram em greve por tempo indeterminado. Motivada pelas alterações unilaterais feitas pela Eletrobras nos valores do plano de saúde, pelas demissões e pelo processo de privatização da estatal, a greve já teve a adesão de cerca de oito mil empregados, o equivalente a 80% dos trabalhadores destas empresas, localizadas no Rio de Janeiro, Distrito Federal, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás e São Paulo.

A alteração realizada pela Eletrobras aumenta a participação do empregado nos custos do plano de saúde – principal direito conquistado pela categoria – de 10% para 40%, tornando inviável para grande parte dos trabalhadores. Mudança realizada em plena crise sanitária causada pelo Covid-19, demonstrando a insensibilidade da empresa e o descaso com a saúde dos trabalhadores.

Além das retiradas de direito, outro agravante motivador da greve é a falta de diálogo da atual direção da Eletrobras e a coação e assédio sofridos pelos empregados.

Não há como dissociar a redução da participação da estatal no plano de saúde com o processo da privatização da empresa, a fim de entrega-la mais enxuta para os próximos acionistas. A retirada de direitos atual antecede demissões e a entrega da maior empresa de energia elétrica da América Latina, responsável por 30% da geração e 50% da transmissão de energia dos brasileiros ao capital privado.

Diante dos fatos ditos acima, em defesa do nosso país, da soberania, da defesa dos direitos dos trabalhadores e da população que pagará o preço da privatização com novos aumentos de tarifas e queda na qualidade do serviço de energia elétrica, declaramos nosso apoio e solidariedade a todos os trabalhadores de Furnas, Cepel e Eletrobras, que resistem e permanecem firmes na luta. Vamos participar junto às chesfianas e aos chesfianos de Assembleia, convocada pelo Sindurb, onde defenderemos à adesão da Chesf a uma greve a nível nacional, assim como a Eletrosul e a Eletronorte.

Recife, 20 de janeiro de 2022

Sindicato dos Engenheiros no Estado de Pernambuco – Senge/PE