Chesfianos rejeitam proposta absurda da Eletrobras

Em Assembleia Deliberativa, na manhã de hoje (14), chesfianas e chesfianos rejeitam, mais uma vez, a proposta apresentada pela Eletrobras na 3ª rodada de negociação que aconteceu no último dia 9.

Entre as propostas absurdas apresentadas pela empresa, está a retirada de três importantes cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho: a 6ª (Inovações tecnológicas), 7ª (Quadro de Pessoal e 8ª (Normas e Regulamentos de Recursos Humanos). Além de um reajuste de 1% no salário e nos auxílios alimentação, educacional e creche, sem retroatividade.

“Uma das piores rodadas de negociação da Eletrobras dos últimos 50 anos, nem no tempo dos militares havia propostas tão agressivas de retirada de direitos”, afirmou o presidente do Senge-PE, Fernando Freitas. A categoria reconhece tal proposta como um forte e claro indicativo de facilitar a privatização da empresa, além de aumentar a terceirização e inviabilizar a participação das entidades sindicais.

“A proposta é absurda e vergonhosa porque a saúde financeira da Eletrobras e suas subsidiárias vem melhorando semestre a semestre. No fim do 4º trimetres de 2018 a empresa teve lucro de 626%, representando um aumento líquido de mais de R$13 bilhões”, publicou o Coletivo Nacional dos Eletricitários, em boletim.

Para o diretor do Senge-PE, Mailson Silva, a categoria precisa permanecer na luta e ficar atenta. “O governo quer levar o ACT desse ano para dissídio, e impor a retirada de direitos. Nós não podemos permitir que isso aconteça”, afirma.

A próxima rodada de negociação está marcada para dia 22/05. Na Assembleia, foi aprovada indicação de paralisação para 03/06 e participação na Greve Geral, que será no dia 14/06.