Engenheiros rendem homenagens a Sergio Almeida durante 11º Consenge

O 11º Congresso Nacional de Sindicatos de Engenheiros (Consenge) homenageou in memoriam o engenheiro Sérgio Almeida, neste sábado (9), em Curitiba. O engenheiro foi diretor da Fisenge de 1999 a 2005, diretor do SENGE Rio no mandato de 1992 a 1995 e presidente nos mandatos 1995 a 2004.O diretor do Senge Rio Paulo Granja recebeu a placa em nome do homenageado e lembrou que “Sergio Almeida foi um lutador incansável pelos excluídos”. O sindicalista foi um dos grandes nomes na luta contra as privatizações. Ele liderou manifestações, greves e assembleias com força e convicção, na defesa da classe trabalhadora, dos movimentos sociais e do Brasil. Sérgio atuou contra a ditadura militar, pela democratização do país e participou ativamente do plebiscito contra Área de Livre Comércio das Américas (ALCA). “O companheiro Sérgio Almeida foi um dos fundadores da Consulta Popular e travou batalhas memoráveis que ajudaram na derrubada da ALCA”, recordou Olímpio Alves dos Santos, presidente do Senge-RJ. Como militante do Senge-RJ, nos últimos anos foi um dos idealizadores dos filmes “Privatizações: a distopia do capital” e “Dedo na ferida”, ambos produzidos e dirigidos por Silvio Tendler.

Sérgio Almeida faleceu no dia 2 de setembro deste ano, decorrente agravamento do seu estado de saúde. A história desse grande lutador do povo brasileiro ficará gravada, para sempre, em nossos corações e mentes. Ele seguirá sendo um exemplo de resistência e de esperança por um Brasil mais justo e igualitário e em defesa da engenharia e da Soberania Nacional. “Expresso meu agradecimento e fica a saudade”, disse Olímpio, que recitou um trecho da poesia ‘Os que lutam’, de Bertolt Brecht: “Há homens que lutam um dia e são bons, há outros que lutam um ano e são melhores, há os que lutam muitos anos e são muito bons. Mas há os que lutam toda a vida e estes são imprescindíveis”.

Confira o vídeo AQUI