Fisenge e Senge-RJ promovem debates sobre soberania nacional

Em sua terceira edição, que aconteceu no dia 8 de junho, na cidade de Belo Horizonte, o Simpósio SOS Brasil Soberano abordou o tema “Quais as reformas e para que reformas? ”, com as mesas “Soberania ou Dependência” e “Trabalho, Demografia e Previdência no Brasil”.

O Simpósio tem promovido debates com especialistas de diversas áreas, do trabalho, da política, da gestão e da defesa nacional, em diferentes cidades brasileiras. O objetivo dos eventos é debater com a sociedade soluções imediatas e práticas para o dramático momento atual, visando saídas para a retomada do desenvolvimento nacional, de forma justa, autônoma e democrática.

“Contra a crise, pelo emprego e pela inclusão” foi o tema do primeiro Simpósio realizado no Rio de Janeiro, no dia 31 de março. Já a segunda edição do evento, que aconteceu na cidade de Salvador, teve como temática “A Engenharia, tecnologia e a modelagem da empresa no Brasil”. Na mesa de abertura, Tatiana Bittencourt Dumêt, diretora da Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia, destacou que a engenharia tem um papel fundamental para o país sair da grave crise que enfrenta. “Não é possível ter progresso sem engenharia forte. Ela é fundamental para chegarmos a um país mais justo e mais igual”.

Em um tripé: tecnologia, educação e trabalho, o Sindicato de Engenheiros do Rio de Janeiro, Senge-RJ e a Federação Interestadual de Sindicato de Engenheiros, Fisenge, realizadores do Simpósio, com coordenação do professor Francisco Carlos Teixeira da Silva, promovem um debate amplo, descentralizado e construtivo, e buscam soluções para a crise institucional brasileira que coloca em risco a soberania nacional.

Foto: Ana Paula Bispo (BA)