AEP-PE e Senge-PE realizam mesa redonda sobre Movimento Sindical e a valorização da Engenharia de Pesca

No dia 10 de abril, Associação dos Engenheiros de Pesca de Pernambuco (AEP/PE) e o Senge-PE conversam com estudantes da graduação de engenharia de pesca da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) sobre movimento sindical, em evento organizado pela Coordenadora do curso Prof. Dra. Suzianny Cabral.

Estudantes do departamento de graduação de Engenharia de Pesca da UFRPE participaram de uma mesa redonda sobre Movimento Sindical e Valorização da Engenharia de Pesca, no dia 10/04. O evento foi organizado pela UFRPE, em parceria com AEP-PE e pelo Senge-PE. Na mesa, estavam o engenheiro de pesca e presidente da AEP-PE Rodolfo Rangel e o engenheiro de pesca e diretor do Senge-PE Leonardo Sales, além da coordenadora do curso Prof. Dra. Suzianny Cabral.

Leonardo Sales, na sua apresentação, falou sobre temas como Salário Mínimo Profissional da categoria e mercado de trabalho. Ele apresentou a pluralidade do mercado para engenheiros de pesca: setor público, setor privado e terceiro setor, consultoria e empreendedorismo a exemplo dos produtores de pescado.

Já Rodolfo Rangel falou sobre políticas da pesca e da aquicultura para o estado, dialogando com todos os elos da cadeira produtiva do pescado: aquicultores e aquicultores familiares, produtores rurais, assentados e da pesca artesanal.  O presidente da AEP-PE também levantou a importância de empoderar a Secretaria de Desenvolvimento Agrário, fortalecendo o IPA e o Pró-Rural com atuação gerencial da pesca e aquicultura na Secretaria Executiva de Agricultura Familiar.

Rangel destacou a atividade dos dois polos de desenvolvimento em ascensão em Pernambuco: Zona da Mata e Submédio do Rio São Francisco. “É fundamental a atuação dos responsáveis técnicos em toda a cadeia do pescado nas unidades de beneficiamentos de pescado e na aquicultura pernambucano”, destacou.

Para finalizar, os engenheiros ressaltaram a importância da organização dos trabalhadores na resistência diante das investidas que visam tirar direitos da classe trabalhadora, em especial, da engenharia de pesca. “Nós temos um desafio de dar as mãos e resistir. Através da Associação e do Sindicato, é muito importante que a categoria participe de eventos, cursos e parcerias de convênios e cooperação técnica”, ressaltou Rodolfo, que também apresentou as diversas modalidades de sócios da Associação e fez um convite a todos para associação a entidade.