Trabalhadores de Furnas realizam o 36º ENTFU

O Encontro Nacional dos Trabalhadores de Furnas , que vai debater a conjuntura política e seus impactos nas relações de trabalho, começa hoje no Rio de Janeiro.

O Encontro Nacional dos Trabalhadores de Furnas vai debater a conjuntura política e seus impactos nas relações de trabalho, entre os dias 22 e 25 de janeiro, no Rio. Durante o evento, será elaborada a pauta de reivindicações a serem encaminhadas ao Coletivo Nacional dos Eletricitários, para o Acordo Coletivo de Trabalho referente ao período 2019/2020 da categoria. A participação será dos delegados sindicais que compõem a base de trabalhadores de FURNAS e as palestras transmitidas pelas redes sociais.

Palestras magnas serão apresentadas no dia da abertura (22) pela coordenadora nacional da associação Auditoria Cidadã da Dívida, Maria Lucia Fattorelli, e pelo diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Clemente Ganz Lúcio.

Felipe Ferreira de Araújo, diretor de Relações Sindicais e Institucionais da Associação de Empregados de Furnas e representante sindical do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro (Senge-RJ), ressalta a importância da presença da categoria. “O Encontro Nacional dos Trabalhadores de Furnas é um momento para os dirigentes sindicais e para os trabalhadores enfrentarem a questão política nacional. Trata-se de uma oportunidade para elaborarem estratégias voltadas à defesa dos direitos e ao combate às ameaças de privatização de Furnas e do Sistema Eletrobras, já anunciadas pelo atual governo”.

Miguel Sampaio, diretor de Comunicação do Senge-RJ, ressalta que “mais importante ainda que o ponto de chegada é o caminho”. Ou seja, diz, “além do resultado final do Encontro, com a pauta para o ACT, a participação dos trabalhadores no processo de discussão e os debates são da maior relevância”.

Programação

A abertura do encontro, no dia 22, está marcada para as 16h na sede de Furnas, em Botafogo. Fattorelli, da Auditoria Cidadã da Dívida, vai abordar além da Reforma da Previdência, “O Sistema da Dívida no Brasil e o Risco à Soberania Nacional”. Para a especialista, o sistema da dívida pública usa o endividamento como mecanismo de subtração de recursos, sem contrapartida para o país. Um sistema que, segundo ela, não serve ao financiamento do Estado mas para benefício do setor financeiro. Mantê-lo requer contínuos contingenciamentos e cortes de despesas primárias, e está na origem da Emenda Constitucional 95, que transformou o ajuste fiscal em regra, estabelecendo teto por 20 anos para os gastos públicos.

É para alimentar este escoadouro, ou o serviço da dívida, destaca Fattorelli, que entram as privatizações, como a do Sistema Eletrobras, e também reformas nos direitos trabalhistas e da seguridade social. Medidas que têm o objetivo principal de assegurar recursos para pagamento aos bancos.

O diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz, vai tratar dos impactos do programa ultraliberal em curso pelo atual governo nas relações e nos direitos do trabalho. E apontar aspectos críticos e estratégicos a serem considerados nas negociações com as empresas.

No dia 23, estão previstas palestras do presidente da Fundação Real Grandeza, Sérgio Wilson Ferraz Fontes, e da diretora de Seguridade da mesma instituição, Patricia Melo e Souza; de representantes do Sicoob Cecremef; da Caixa de Assistência dos Empregados de Furnas (Caef); e da Diretoria de Recursos Humanos, para falar sobre as novas políticas de RH da Eletrobras, do Programa de Demissão Incentivada, situação do quadro quantitativo, entre outros temas.

No dia 24, também a partir das 8h, farão apresentações o advogado Maximiliano Garcez; o economista e pesquisador Ronaldo Bicalho, do Instituto de Desenvolvimento Estratégico do Setor Elétrico – Ilumina; e um especialista do Dieese. À tarde, começam os trabalhos para construção da pauta de reivindicações, que continua pela manhã e tarde do dia 25.

Uma vez fechada, a pauta dos trabalhadores de Furnas será entregue ao Coletivo Nacional dos Eletricitários (CNE), como contribuição para a pauta nacional do ACT 2019/2020. A conclusão da pauta acontece em reunião do CNE em Curitiba, de 6 a 8 de fevereiro. A categoria tem data base em 1º de maio.

ENCONTRO NACIONAL DOS TRABALHADORES DE FURNAS

> 22 de janeiro – Abertura
Local: Scorial Rio Hotel
Rua Bento Lisboa, 155- Flamengo – Rio de Janeiro, RJ
Hora: 16h

> 23, 24 e 25 de janeiro

Local: Scorial Rio Hotel
Rua Bento Lisboa, 155 – Flamengo – Rio de Janeiro, RJ
Hora: 8h às 19h

Apoio institucional: Sicoob Cecremef

Fonte: Senge-RJ

Anúncios