Encontro Nacional de Estudantes de Engenharia de Pesca foi tema de Fórum de Estudantes no XX Conbep

Estudantes se reuniram em Florianópolis-SC, no XX Congresso Nacional de Engenheiros de Pesca, para debater a respeito do ENEEP-2018, que acontecerá entre 23 e 26 de maio, em Piúma-ES

Estudantes dos 27 cursos de engenharia de pesca, espalhados pelo Brasil, se reúnem em Fórum dos Estudantes, durante o XX Conbep. O tema do Fórum foi o Encontro Nacional de Estudantes de Engenharia de Pesca, ENEEP, que acontecerá entre 23 e 26 de maio, em Piúma-ES, e terá como tema “Engenharia de pesca prospecção para o futuro”. O evento contará, na sua programação, com palestras, minicursos, mesas redondas, workshops, visitas técnicas, oficinas, grupos de trabalhos e apresentação de pesquisas.

“O ENEEP ocorreu pela primeira vez em 1980. Os estudantes, nessa época, já viram a necessidade de um espaço para discussão de estudantes. Criaram o evento, mas ele foi perdendo a força com o tempo. A partir de 2003, ele se reergueu, e voltou a existir, aconteceu em Parnaíba (2014), em Serra Talhada (2016) e o próximo será em Piúma (2018). Estamos tentando organizar um espaço voltado para os estudantes, para levar nossas demandas, e que elas sejam atendidas e reconhecidas a nível nacional, tanto pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia, Crea, quanto pelos sindicatos de engenheiros”, explicou a engenheira de pesca e mestranda da Universidade Federal de Santa Catarina, Rosana Oliveira.

Para ela, a união dos estudantes, em eventos como esse, é fundamental para enfrentar o mercado de trabalho. “É bem importante na questão de trocar contatos, ‘figurinhas’, descobrir outras áreas de pesquisa, de campo de trabalho e até para fortalecimento dos cursos”, falou Rosana.

Durante o ENEEP, será eleita a Comissão Brasileira dos Estudantes de Engenharia de Pesca, que deverá contar com um representante de cada um dos 27 cursos no Brasil. Também será votado o Estatuto que irá guiar a entidade.

Os estudantes também debateram sobre a importância do Conbep e os desafios da engenharia de pesca no Brasil. “O Conbep é um momento dos alunos fazerem uma troca com os profissionais, que são habilitados para realizarem palestras de assuntos específicos. Contribui muito para a formação de qualquer engenheiro de pesca, fortalece o currículo e abre nossa mente também. Às vezes, conseguimos o contato para fazer estágios em empresas e outras universidades, por exemplo, em áreas de nosso interesse”, disse a estudante.

Para ela, o grande desafio dos estudantes é pouca divulgação das atribuições da profissão. “Em alguns concursos públicos, por exemplo, eles abrem para agrônomos, engenheiros florestais, biólogos e zootecnistas, e acabam excluindo a engenharia de pesca, por não ter o conhecimento das nossas atribuições”, explicou Rosana. Outro ponto apresentado é a defasagem das grades curriculares nas universidades. “No curso que eu fui formada (na Universidade Federal Rural de Pernambuco, UFRPE), a grade curricular ainda é baseada na grade curricular do primeiro curso de engenharia de pesca do Brasil, de 1974”, falou a mestranda.