Nesta sexta, 27, tem Dia de Luta em Defesa do Serviço Público

Na última quinta e sexta-feira, a CUT realizou em São Paulo uma plenária nacional do setor público (foto). O evento reuniu entidades que representam o funcionalismo nas três esferas e tirou encaminhamentos importantes para a categoria. Como resultado desse encontro foi deliberada a realização de um Dia de Luta em Defesa do Serviço Público, na próxima sexta-feira, dia 27 de outubro, com protesto em Brasília e nos estados.

A mobilização da próxima semana antecede o Dia do Servidor Público, comemorado no 28 de outubro. “A data foi escolhida de forma proposital. Nós, servidores, mais do que nunca, precisamos nos mobilizar enquanto categoria, pois o nosso futuro está em jogo”, frisou o diretor do Sindsep e da CUT-PE, Fernando Lima.

Também para dialogar com a sociedade sobre a importância do serviço público será lançada em novembro uma campanha de mídia. “A campanha será mais abrangente. Vamos trabalhar a defesa do serviço público e das estatais. Um país como o Brasil precisa de um serviço público forte. Do contrário será o caos”, atenta o secretário geral da Condsef, Sérgio Ronaldo. A campanha vai contar com peças publicitárias para vários meios de comunicação. Serão cartazes, spots, outdoor, vídeos, etc, voltados inclusive para as redes sociais.

Além dessa campanha de mídia, o ramo do setor público da CUT está discutindo a realização de uma outra campanha pela revogação da Emenda Constitucional (EC) 95/16, a PEC do Fim do Mundo, que congela os investimentos no serviço público por 20 anos. Segundo Sérgio Ronaldo, que participou da plenária nacional da CUT, a ideia é fazer um trabalho igual ao da Anula Reforma, campanha com o objetivo de recolher mais de 1,5 milhão de assinaturas em favor de um projeto de lei de iniciativa popular para revogar a reforma trabalhista.

Sobre a Anula Reforma, os servidores decidiram aderir em massa ao Dia Nacional de Luta e Defesa dos Direitos dos Trabalhadores, em 10 de novembro. Será um protesto pelo projeto de lei de iniciativa popular para revogar a reforma trabalhista.

Fonte/Foto: Ascom Sindsep-PE