Negociações coletivas para 2017

O Sindicato dos Engenheiros no Estado de Pernambuco ampliou a representação dos engenheiros em convenções coletivas neste ano, com participação nas negociações de seis órgãos, sendo eles a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais, CPRM, Operador Nacional do Sistema Elétrico, ONS, Companhia Hidroelétrica de São Francisco, Chesf, Companhia Brasileira de Trens Urbanos, CBTU, Companhia Pernambucana de Saneamento, Compesa e Companhia Nacional de Abastecimento, Conab.

Na CPRM, a diretoria do Senge-PE conduziu ou participou de assembleias locais, bem como da negociação nacional junto à Fisenge. O acordo do reajuste salarial saiu abaixo do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA, porém houve ganhos em benefícios complementares.

Assim como na CPRM, a negociação coletiva da CBTU e a Conab também são decididas a nível nacional. Nas duas companhias, o Senge-PE participou ativamente das negociações, realizando, inclusive, assembleias a nível local.

Nas negociações da Compesa, houve a conquista do IPCA pleno e foi mantido o salário mínimo profissional, porém não houveram ganhos reais. O acordo com a ONS ainda está em fase de assinatura com a garantia do IPCA pleno.

O acordo realizado na Chesf/Eletrobrás mais uma vez foi decidido pelo Tribunal Superior do Trabalho, TST. O acordo, equivalente a dois anos, teve, no primeiro ano, reajuste abaixo da inflação, com 5% retroativo a maio e 4,28% em setembro de 2016, contra uma inflação de maio a abril medida pelo IPCA de 9,28%; e, em 2017, reajuste será dado pelo IPCA pleno. O acordo da Participação em Lucros e Resultados, PLR, ainda não foi concluído.

A avaliação da diretoria do Sindicato é que, mesmo com poucas conquistas, o balanço é positivo, porém a expectativa para o próximo ano não é boa, devido ao cenário econômico e a crise institucional que o Brasil está vivendo.