QUE 2021 SEJA UM ANO REALMENTE NOVO

2020 ficará marcado na história. As marcas causadas pela pandemia do Covid-19 somadas às inconsequências e à irresponsabilidade do atual governo brasileiro também demorarão para apagar. Uma das maiores crises sanitárias do mundo escancarou a desigualdade social brasileira e seus problemas estruturais: pobreza, violência, falta de saneamento e outros.

No Brasil inteiro, sofremos perda de postos de trabalho, fechamento de empresas, aumento da fome. Sem contar o discurso negacionista do atual presidente, causando um grande desserviço social.

A engenharia se mostrou, mais uma vez, fundamental para a sociedade. Enquanto o mundo parou com o isolamento social e as incertezas derivadas da pandemia, engenheiras e engenheiros de todo o Brasil continuaram trabalhando e garantiram energia nos lares e hospitais, comidas nos supermercados, água nas torneiras, construção de hospitais de campanha, produção de respiradores.

Profissionais que, junto aos profissionais de saúde e de outros serviços essenciais, assumiram a linha de frente da batalha contra o novo coronavírus e pela vida. Merecem nossos aplausos e agradecimentos diários. Verdadeiros guerreiros.

E agora o ano se encerra. Respiramos fundo, aliviados. Saudade dos que perdemos, indignação diante da irresponsabilidade e crueldade de nossos governantes, uma falta imensa dos abraços que não foram dados em um ano de isolamento social, mas agradecemos, nós somos os sobreviventes de 2020 e teremos, sim, coisas bonitas para contar de um ano turbulento.

A delicadeza do atual momento gerou uma onda de solidariedade em parte da sociedade que, preocupada com a fragilidade social, se movimentou através de ações coletivas para fazer diferença na vida de várias famílias, através de doações de alimentos, roupas e diversas outras formas de acolhimento.

Nosso sindicato fez 85 anos, tivemos um ano peculiar, de muitas mudanças, mas também de muito companheirismo e luta. Participamos de Acordos Coletivos de Trabalho, acompanhamos engenheiros e engenheiras em seus postos de trabalho enfrentando dificuldades seja no home office, seja nos trabalhos essenciais presenciais. Elegemos nosso diretor Roberto Freire como presidente da Federação Interestadual dos Sindicatos de Engenheiros, Fisenge e elegemos Adriano Lucena presidente do Crea-PE e Leonardo Sales diretor financeiro da Mútua/PE, ambos nossos diretores. Readaptamos as finanças do Senge-PE a atual realidade da entidade e estamos prontos para o ano de 2021.

Diante do cenário nacional de pandemia e da ausência de uma política séria de vacinação, não conseguimos ter perspectiva alguma. Nenhuma certeza no horizonte.  A falta de planejamento de recuperação econômica para o país também nos coloca em uma posição de fragilidade e esmaga nossas esperanças de dias melhores. Mas, mesmo nesse cenário nebuloso, permaneceremos na luta.

Com investimentos em setores da engenharia podemos retomar o desenvolvimento econômico e proporcionar novos postos de trabalho, reduzindo o desemprego e tirando a população da miséria. Setores como saneamento básico, mobilidade urbana e energia renováveis devem estar na mira dos governantes que desejam a verdadeira melhoria social. Evitar as privatizações que afetam a soberania nacional também é outra frente que atuaremos fortemente, empresas do setor elétrico, por exemplo, não podem ir parar nas mãos do capital financeiro privado. A tragédia do apagão no Amapá já nos provou que setores essenciais precisam estar a serviço do povo.

Falar engenheiros, uni-vos pode parecer ultrapassado. Mas conclamo aqui cada engenheira e cada engenheiro a assumir esse compromisso com a sociedade e com nosso Brasil. A engenharia pode ser mais uma vez protagonista na retomada econômica do país e nós, que fazemos o Sindicato dos Engenheiros no Estado de Pernambuco, além de nos colocar à disposição da luta por uma sociedade mais igualitária, convidamos cada uma e cada um a se juntar a nós.

Esperamos que 2021 seja um ano realmente novo. O Brasil precisa voltar a ter empatia e humanidade, com governantes sérios e que tenham coragem para ousar e fazer com que nosso país volte a crescer. Não merecemos um presidente sem valor, sem escrúpulo e sem a mínima condição de governar um país com a dimensão do Brasil.

Um abraço virtual caloroso e um ano de 2021 realmente novo!

Mozart Arnaud

Presidente do Senge-PE