Privatização da Copergás é discutida na Alepe

No dia 06/11, durante o Grande Expediente, na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), a privatização da Companhia Pernambucana de Gás, Copergás, foi tema de um debate entre parlamentares, sociedade civil e representantes da Companhia.

Depois da assinatura de um acordo de cooperação técnica entre o Estado e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), em julho deste ano, para avaliar parcerias entre a Companhia e o setor privado, trabalhadores da Copergás, movimento sindical e parlamentares receiam uma possível privatização.

A Copergás possui 31 mil clientes e é a quarta maior do Brasil em movimentação de gás natural, tendo uma receita bruta de 1 bilhão. Para a deputada Teresa Leitão, que presidiu a reunião, não há motivos se quer para levantar a possibilidade da privatização da empresa, uma vez que ela tem mostrado qualidade, eficiência e obtido lucro. “Somos contra a privatização, pelo que apresenta e pelo que ainda pode fazer. Queremos que ela cresça como empresa pública, associada à função social que precisa ter”, disse a parlamentar.

O presidente do Senge-PE, Fernando Freitas, cobrou coerência do governo, em relação aos debates da privatização. “Queríamos que o governador permanecesse ao lado dos trabalhadores e dos nordestinos. Ele se declarou contra a privatização da Chesf, e esperamos que se posicione também contra a privatização da Copergás, uma empresa lucrativa que tem uma ampla função social”, declarou o sindicalista.

Estiveram presentes, além do Senge-PE, os deputados Teresa Leitão, Isaltino Nascimento, Silvio Costa Filho, Edilson Silva, Rodrigo Novaes, Aluísio Lessa, Teresinha Nunes, representantes da Federação Única dos Petroleiros (FUP), do Sindicato dos Petroleiros da Paraíba e de Pernambuco (Sindpetro PE/PB), além de representantes da Copergás.

Foto: Alepe