“O impacto da Chesf para o Nordeste” é tema de debate em frente à sede da Companhia

“Está em jogo um projeto de nação”, defende o advogado Antônio Campos

Complementando as agendas em defesa da Chesf como uma empresa estatal e fundamental para a soberania brasileira, o Senge-PE esteve presente, no dia 25 de agosto, no ciclo de debates com o tema “O impacto da Chesf para o Nordeste”, em frente ao prédio da Companhia.

O presidente do Senge-PE, Fernando Freitas, falou sobre a pauta entreguista do governo Temer, que coloca a Chesf e outros setores estratégicos da economia na mão do capital financeiro internacional. “Vão privatizar o aeroporto, dizendo que quem sabe tomar conta de aeroporto é o alemão. Vão privatizar os portos, dizendo que são os holandeses que entendem. E a Chesf está nesse meio. Vão entregar o país e acabar com nossa soberania”, discursou.

No evento, esteve presente o advogado Antônio Campos, se comprometendo com a luta em defesa da Chesf e, consequentemente, do Nordeste. “Por que se estima em vender o sistema por 20 ou 30 bilhões, se esse patrimônio, além de muito sangue, suor, pensamento e trabalho do povo brasileiro, custou mais de 400 bilhões?”, indagou.

“Mais do que o interesse dos servidores da Chesf, está em jogo um projeto de nação, um projeto de soberania nacional. E os brasileiros, nesse momento difícil, precisam resistir e mostrar sua indignação. A pauta do Temer é uma pauta que não tem povo, é uma pauta que não tem Brasil. É uma pauta do sistema financeiro internacional para terminar de entregar o pouco que nos restou”, conclui Antônio Campos.