Chesfianos/as realizam ato junto à Frente Parlamentar em Defesa da Chesf

No mesmo dia que a Frente Parlamentar em Defesa da Chesf se reuniu com a presidência da Companhia para tratar da privatização anunciada pelo Governo Federal, o Sindicato dos Engenheiros de Pernambuco, Senge-PE, o Sindicato dos Urbanitários de Pernambuco, Sindurb-PE, e demais entidades sindicais realizaram ato em frente ao prédio da Chesf, junto aos chesfianos e às chesfianas.

Palavras de ordem como “A Chesf é do Nordeste” e “Fora Temer” foram entoadas no ato. Os trabalhadores discursavam enquanto aguardavam a saída dos deputados que compõem a Frente, entre eles os deputados federais Danilo Cabral, Tadeu Alencar e Luciana Santos.

O ex deputado e chesfiano Fernando Ferro defendeu que a disputa não diz respeito apenas aos servidores da Chesf, “ninguém está aqui para defender emprego, a gente está aqui defendendo a soberania, a segurança hídrica e energética da região”, discursou. Para ele, a luta atual deveria ser pela reestatização do setor elétrico brasileiro, não contra um retrocesso como a privatização.

Para o presidente do Senge-PE, Fernando Freitas, é preciso juntar as forças e fortalecer a luta em defesa da Companhia. “Eles (o atual governo) querem vender tudo, até a transposição do rio São Francisco está sendo negociada. Nós temos que lutar, não vamos permitir esse retrocesso, não vamos entregar a Chesf”, defendeu.

Ao sair da reunião, os deputados se juntaram aos trabalhadores e fortaleceram o ato em defesa da indutora de desenvolvimento do Nordeste, a Chesf. “A privatização da Chesf significa a entrega das chaves das águas do São Francisco para o privado tomar conta. E a água do São Francisco pertence ao povo brasileiro, especialmente, ao povo nordestino e aos pernambucanos”, declarou o presidente da frente deputado Danilo Cabral.

A deputada federal e coordenadora da Frente, Luciana Santos, acredita que a privatização da Chesf faz parte de um projeto maior do governo ilegítimo de Michel Temer. “A privatização do setor elétrico brasileiro faz parte de um conceito de um governo que acha que o estado é pra ser mínimo para o povo e máximo para os rentistas. Esse é o conceito que está por trás de tudo isso. Mas, eles estão mexendo agora com um setor estratégico, que é a energia. Em todo lugar do mundo, o setor estratégico é tratado com um bem público, e nós precisamos preservar porque isso é uma questão de soberania nacional. Aliás, essa matriz energética de mais de 70% da energia renovável não foi chinês, não foi alemão, não foi francês, quem produziu essa inteligência foram os brasileiros, foi inteligência brasileira”, discursou Luciana.

REUNIÃO COM LUCIANA SANTOS

Dias antes da composição da Frente Parlamentar em Defesa da Chesf, a diretoria do Senge, engenheiros e ex dirigentes da Chesf se reuniram no Sindicato, para uma conversa com a deputada Luciana Santos a respeito da situação da Chesf diante do anúncio da privatização.

O objetivo do encontro foi unir forças com a parlamentar para fortalecer a luta em defesa do setor elétrico. Para isso, os engenheiros e chesfianos José Carlos Miranda, José Ailton de Lima, João Paulo Aguiar, Roberto Gomes e José Antônio Feijó apresentaram para a deputada dados a respeito das atividades desempenhadas pela Chesf, sua atual situação e a importância da Companhia permanecer pública.

AUDIÊNCIA PÚBLICA NA ALEPE

Na próxima segunda-feira (04), às 9h, acontecerá na Assembleia Legislativa de Pernambuco, Alepe, audiência pública para debater os impactos da privatização da Chesf no Nordeste.